27 de out de 2010

Na Galeria dos Falsos Profetas


Na Galeria dos Falsos Profetas

Talvez você já deve ter entrado em uma bela galeria de artes e teve o privilégio de apreciar as lindas obras de Michelângelo, Portinari, Picasso e tantos outros ícones da arte plástica. Realmente é gratificante o trabalho que estes artistas legaram à humanidade.

Mas se porventura, você entrasse em uma galeria que ao invés de expor obras de artistas, fosse o lugar onde você pudesse observar obras de pessoas que se diziam inspiradas e guiadas por um ser superior? E se essas mesmas pessoas alegassem ter sido levantadas por Deus como profetas para restaurar na religião cristã algo que alegam ter sido perdido com uma suposta apostasia? Mas se ao invés disso, você descobrisse que tais indivíduos só produziram heresias levando milhares de pessoas para o inferno com seu falso evangelho? Teria você curiosidade em saber quem são eles? Se a resposta for sim, então, por favor, nos acompanhe...


O Que é um Profeta?

A palavra “profeta” vem do grego “prophetes”, e significa “falar antes”, é uma denominação que se dá ao fenômeno pelo qual em algumas religiões, a revelação de uma divindade ou de seus ensinamentos quanto ao passado, presente ou futuro, é atribuída à palavra falada ou escrita de um ou mais indivíduos tidos como “profetas”, “iluminados” ou “inspirados”. Profeta é quem, inspirado pela divindade ou convencido de estar possuído por uma entidade espiritual superior, fala em nome da mesma e transmite sua mensagem. Assim, a figura do profeta perde seu significado essencial quando é reduzida ao poder de predizer o futuro, o que não constitui mais do que um elemento acessório de sua missão.

Desde suas origens, a autoridade do profeta adquire teor ao mesmo tempo religioso, político e moral.


Os Falsos Profetas

Os falsos profetas, mesmo que não concordem com uma afirmação surgem sempre como reacionários contra a religião dominante ou contra uma denominação religiosa. Considerando corrupta, corrompida ou insatisfatória sua religião ou denominação, organizam movimentos, princípios, doutrinas, regras e normas que satisfazem, levando muitos outros consigo. Comumente se dizem “escolhidos” por Deus para uma missão especial; considerando-se “canais” a quem a divindade usa para transmitir a sua mensagem e têm sempre uma “revelação especial” que as pessoas precisam ouvir. Não há como definir uma quantidade exata destes pseudoprofetas, haja vista, a enorme quantidade de religiões (cerca de duas mil) e as inúmeras seitas (mais de dez mil) em todo o mundo. Devemos levar em consideração ainda o aumento contínuo a cada ano de novos movimentos religiosos, o que torna quase impossível um catálogo exato. Mas por ora, ficamos aqui com as principais.

Carinho e amor
Fernanda.

Fonte: http://www.cacp.org.br/estudos/artigo.aspx?lng=PT-BR&article=889&menu=7&submenu=3

Nenhum comentário: