24 de abr de 2012







Terça, 24 de abril de 2012
HOUVE TREVAS AO MEIO-DIA




“Já era quase a hora sexta, e, escurecendo-se o sol, 
houve trevas sobre toda a terra até à hora nona.” 
Lc 23.44


Quando Jesus nasceu, houve luz à meia-noite; quando Jesus morreu, houve trevas ao meio-dia. Até mesmo o sol escondeu o seu rosto diante das agruras do Calvário. O sofrimento do Filho de Deus não foi apenas físico, mas, sobretudo, espiritual. Mesmo sendo sua dor indescritível, em virtude dos açoites e torturas que precederam a fatídica jornada para o Gólgota bem como em razão da crucificação e das longas horas exposto a câimbras e dores excruciantes, o maior sofrimento de Jesus foi ser abandonado pelo Pai.


Naquele momento, não havia beleza em Jesus. Ele foi feito maldição por nós. Nossas transgressões estavam sobre ele. A feiura do nosso pecado o cobriu de vergonha e dor. A hediondez das nossas iniquidades foi lançada sobre ele. Porque foi feito pecado por nós, a lei exigiu sua morte sumária, pois o salário do pecado é a morte. Foi na negridão daquele dia que o véu do templo se rasgou e Jesus abriu para nós um novo e vivo caminho para Deus. Por meio de sua morte fomos reconciliados com Deus. Na cruz, ele nos abriu a porta do céu!


ORE




Pai, as trevas que habitavam o meu coração foram dissipadas sob a tua luz. A glória da tua majestade invadiu a minha alma com a presença de Jesus em mim. Nele eu agradeço. Amém.


Carinho e Amor.
Fernanda
Fonte: http://www.lpc.org.br/cada-dia

Nenhum comentário: