28 de out de 2016

Trabalhar para o vento

Trabalhar para o vento
Leia: Eclesiastes 5:10-17 | A Bíblia em um ano: Jeremias 15–17 2 Timóteo 2
…que proveito lhe vem de haver trabalhado para o vento? —Eclesiastes 5:16
Howard Levitt perdeu sua Ferrari de 200 mil dólares em uma rodovia inundada em Toronto, Canadá. Ele tinha passado por algo que parecia ser uma poça antes de perceber que era muito mais fundo e que o nível da água subia rapidamente. Quando a água atingiu os para-lamas da Ferrari, seu motor de 450 cavalos parou. Felizmente, ele conseguiu sair do carro e chegar a um terreno mais alto.
O carro esportivo inundado me lembra da observação de Salomão de que “…riquezas se perdem por qualquer má aventura…” (Eclesiastes 5:14). Desastres naturais, roubos e acidentes podem levar nossos bens mais estimados. Mesmo que consigamos protegê-los, certamente não podemos arrastá-los conosco para o céu (v.15). Salomão perguntou: “…que proveito lhe vem de haver trabalhado para o vento?” (v.16). Há certa futilidade em trabalhar apenas para adquirir bens que no fim das contas desaparecerão.
Há algo que não deteriora e que podemos “levar conosco.” É possível armazenar tesouro celestial eterno. Buscar virtudes como generosidade (Mateus 19:21), humildade (5:3) e persistência espiritual (Lucas 6:22,23) produzirão recompensas duradouras que não podem ser destruídas. O tipo de tesouro que você busca terá fim na terra? Ou você está buscando “…as coisas lá do alto, onde Cristo vive, assentado à direita de Deus”? (Colossenses 3:1).
Os tesouros na terra não se comparam aos tesouros no céu.

27 de out de 2016

Novo na família

Novo na família
Leia: Lucas 15:3-7 | A Bíblia em um ano: Jeremias 12–14 2 Timóteo 1
…haverá maior júbilo no céu por um pecador que se arrepende do que por noventa e nove justos… —Lucas 15:7
Durante uma viagem missionária à Jamaica com o coral cristão do Ensino Médio, testemunhamos um exemplo do amor de Deus em ação. No dia em que visitamos um orfanato de crianças e adolescentes com necessidades especiais, descobrimos que Douglas, um dos meninos com quem nossos jovens havia interagido — um adolescente com paralisia cerebral — ia ser adotado.
Quando o casal que o adotaria chegou à “base” onde estávamos hospedados, foi uma alegria conversar com eles sobre Douglas. Mas o melhor aconteceu depois. Estávamos na base quando Douglas e seus novos pais chegaram logo após saírem juntos do orfanato. Enquanto a nova mamãe abraçava seu filho, nossos alunos juntaram-se ao redor e cantaram canções de louvor. Lágrimas foram derramadas. Lágrimas de alegria. E Douglas estava radiante!
Mais tarde, um dos estudantes me disse: “Isto me lembra de como deve ser no céu quando alguém é salvo. Os anjos regozijam-se porque alguém foi adotado para a família de Deus.” Realmente, foi uma imagem da alegria no céu quando alguém novo passa a fazer parte da família eterna de Deus pela fé em Cristo. Jesus falou deste grande momento ao dizer: “…haverá maior júbilo no céu por um pecador que se arrepende…” (Lucas 15:7).
Louve a Deus por nos ter adotado em Sua família. Não é surpresa que os anjos regozijem-se!
Os anjos se alegram quando nos arrependemos.

26 de out de 2016

Todos juntos

Todos juntos
Leia: Salmo 98:1-9 | A Bíblia em um ano: Jeremias 9–11 1 Timóteo 6
Celebrai com júbilo ao Senhor, todos os confins da terra; aclamai, regozijai-vos e cantai louvores. —Salmo 98:4
Por anos o piano de minha esposa e o meu banjo tiveram um relacionamento desconfortável e pouco frequente. Assim, depois que Janete me deu um novo violão em meu aniversário, demonstrou interesse em aprender a tocar meu antigo violão. Ela é uma musicista muito capaz e em pouco tempo estávamos tocando juntos canções de louvor em nossos violões. Gosto de pensar que um novo tipo de “conexão de louvor” preencheu nossa casa.
Quando o salmista foi inspirado para escrever sobre a adoração a Deus, ele começou com esta exortação: “Celebrai com júbilo ao Senhor, todos os confins da terra; aclamai, regozijai-vos e cantai louvores” (98:4). Ele nos chamou a cantar ao Senhor com instrumentos como harpas, trombetas e buzinas (vv.5,6). Ele ordenou a toda a terra que celebrasse “…com júbilo ao Senhor…” (v.4). Nessa poderosa orquestração de louvor, o mar rugirá em exaltação, os rios baterão palmas e as colinas cantarão em alegria. Toda a raça humana e a criação estão juntas conclamadas a louvar ao Senhor em “…um cântico novo…” de louvor, “…porque Ele tem feito maravilhas…” (v.1).
Permita hoje seu coração conectar-se a outros e à criação de Deus cantando louvores ao poderoso Criador e Redentor.
Deus pode usar instrumentos comuns para produzir uma orquestra de louvor.

21 de out de 2016


Louvor imerecido

Louvor imerecido
Leia: Lucas 5:27-32 | A Bíblia em um ano: Isaías 62–64 1 Timóteo 1
Não vim chamar justos, e sim pecadores, ao arrependimento. —Lucas 5:32
Antes mesmo de poder pagar por um forno autolimpante, eu conseguia manter meu forno limpo. Convidados até comentavam sobre ele quando os recebíamos para uma refeição. “Puxa! Seu forno é muito limpo! Parece novo.” Eu aceitava o louvor mesmo sabendo que não merecia. O motivo para meu forno ser limpo não era minha limpeza meticulosa; mas sim o fato de que eu raramente o usava.
Com que frequência, me pergunto, sou culpada de aceitar admiração imerecida por minha vida “limpa”? É fácil passar a impressão de ser virtuosa; simplesmente não faça nada difícil, controverso ou irritante às pessoas. Mas Jesus disse que devemos amar as pessoas que não concordam conosco, que não compartilham de nossos valores, que nem mesmo gostam de nós. O amor exige que nos envolvamos nestas situações complicadas da vida das pessoas. Jesus teve problemas frequentes com líderes religiosos que estavam mais preocupados em manter suas reputações limpas do que com a condição espiritual daqueles por quem supostamente deveriam zelar. Eles consideravam Jesus e Seus discípulos impuros por misturarem-se com pecadores quando estavam simplesmente tentando resgatar pessoas de seus modos de vida destrutivos (Lucas 5:30,31).
Os verdadeiros discípulos de Jesus estão dispostos a arriscar suas reputações para ajudar outros a saírem do lodo do pecado.
Cristo nos manda sair para que busquemos outros para perto dele.

15 de out de 2016

De cabeça para baixo

De cabeça para baixo
…Os sãos não precisam de médico, e sim os doentes. —Mateus 9:12
Na Índia eu cultuei a Deus entre pacientes leprosos. A maioria dos avanços da medicina no tratamento da lepra surgiu como resultado de médicos missionários que se dispuseram a viver entre os pacientes e a arriscar-se à exposição à pavorosa doença. Como resultado, desenvolvem-se igrejas na maioria dos grandes centros de lepra. Em Mianmar visitei casas para órfãos aidéticos onde voluntários cristãos tentam substituir a afeição dos pais que a doença já roubou. No Chile e no Peru, visitei os cultos mais avivados no interior de uma penitenciária federal. Entre os simples, os desprezíveis, os oprimidos — os rejeitados deste mundo — o reino de Deus cria raízes.
Levar a sério algo designado por Deus significa que precisamos aprender a olhar para o mundo de cabeça para baixo, como Jesus fez. Em vez de buscar pessoas com recursos que possam nos fazer favores, procuramos pessoas com poucos recursos. Em vez dos fortes, encontramos os fracos; em vez do saudável, o doente. Em vez do espiritual, o pecador. Não é assim que Deus reconcilia o mundo consigo? “…Os sãos não precisam de médico, e sim os doentes […] pois não vim chamar justos, e sim pecadores” (Mateus 9:12,13).
Para ganhar uma nova perspectiva, olhe para o mundo de cabeça para baixo, como Jesus o fez.
Você vê um mundo carente por intermédio dos olhos de Jesus?

14 de out de 2016

Um eterno olá

Um eterno olá
…foi o próprio Deus quem nos preparou para isto, outorgando-nos o penhor do Espírito. —2 Coríntios 5:5
Após uma semana de férias com sua filha e Otávio, o neto de quatro meses, Kátia teve de se despedir até que pudesse vê-los novamente. Ela me escreveu: “Doces reencontros como este que tivemos fazem meu coração ansiar pelo céu. Lá não teremos que tentar capturar memórias em nossa mente. Não teremos que orar para que o tempo passe lentamente e os dias durem mais. Lá, nosso oi nunca se transformará em adeus. O céu será um “eterno olá”, e eu não vejo a hora que chegue.” Como avó de primeira viagem, ela quer estar com seu neto Otávio o máximo possível! Ela fica grata por qualquer momento que possa estar com ele e pela esperança do céu — onde os momentos maravilhosos nunca acabarão.
Nossos dias bons realmente parecem muito curtos e nossos dias difíceis longos demais. Mas ambos os tipos de dias nos fazem ansiar pelos dias ainda melhores que estão por vir. O apóstolo Paulo afirmou que ele e os coríntios ansiavam estar “…revestidos, para que o mortal seja absorvido pela vida” (2 Coríntios 5:4). Ainda que o Senhor esteja conosco nesta vida, não podemos vê-lo face a face. Agora vivemos por fé, não por vista (v.7).
Deus nos criou exatamente para o propósito de estar sempre próximos a Ele (v.5). O céu será um eterno olá.
Agora vemos Jesus na Bíblia, mas o veremos face a face.

10 de out de 2016

A lição do bambolê

A lição do bambolê
Leia: Marcos 6:34-44 | A Bíblia em um ano: Isaías 34–36 Colossenses 2
E não nos cansemos de fazer o bem… —Gálatas 6:9
Um de meus brinquedos favoritos na infância está ressurgindo — o bambolê. Minha amiga Suzi e eu gastávamos horas no jardim aperfeiçoando nossa técnica e competindo para ver quem de nós conseguia mantê-lo girando na cintura por mais tempo. Este ano revivi essa parte de minha infância. Sentada em um parque, observei enquanto as crianças de todas as idades e tamanhos tentavam ao máximo impedir os bambolês de caírem no chão. Elas giravam e giravam com toda a força, mas apesar de seu esforço os bambolês caíam. Uma jovem então apanhou um bambolê. Praticamente sem muito esforço, ela o moveu suavemente e com ritmo para cima e para baixo, da cintura até os ombros e de volta à cintura. Seu sucesso dependeu de movimento estratégico, não do movimento vigoroso.
Em nossa vida espiritual, podemos gastar todo tipo de energia tentando acompanhar o ritmo de outros no serviço a Deus. Mas trabalhar até a exaustão não é uma virtude (Gálatas 6:9). Antes de alimentar milhares de pessoas com apenas cinco pães e dois peixes (Marcos 6:38-44), Jesus chamou Seus discípulos à parte para descansar, provando que Ele não precisa de nosso empenho frenético para cumprir Sua obra. Jesus quer nos ensinar a verdade que ensinou a Seus discípulos: obediência mansa alcança mais do que atividade desenfreada.
Jesus quer prontidão, não exaustão.

9 de out de 2016

O que você espera?

O que você espera?
Leia: João 16:25-33 | A Bíblia em um ano: Isaías 32–33 Colossenses 1
…No mundo, passais por aflições; mas tende bom ânimo; eu venci o mundo. —João 16:33
Em seu livro God in the Dock (Deus na Doca), C. S. Lewis escreveu: “Imagine um grupo de pessoas morando no mesmo edifício. Metade delas acredita que está em um hotel, a outra metade acredita que está numa prisão. Aqueles que pensam estar em um hotel podem considerá-lo intolerável e aqueles que pensam estar em uma prisão podem considerá-la surpreendentemente confortável.” Lewis usou habilmente este contraste entre um hotel e uma prisão para ilustrar o modo como vemos a vida fundamentados em nossas expectativas. Ele diz: “Se você considera este mundo um lugar planejado simplesmente para nossa felicidade, irá considerá-lo um bocado intolerável; conceba-o como um lugar de treinamento e correção e acaba não sendo tão ruim.”
Algumas vezes esperamos que a vida seja feliz e indolor. Mas não é isto que a Bíblia ensina. Para o cristão, este mundo é um lugar de desenvolvimento espiritual por meio de momentos bons e ruins. Jesus foi realista quando explicou o que deveríamos esperar da vida. Ele disse a Seus discípulos: “…No mundo, passais por aflições; mas tende bom ânimo; eu venci o mundo” (João 16:33). Ao enfrentarmos as bênçãos e as injúrias da vida podemos ter paz eterna, pois Deus está orquestrando eventos de acordo com Seu plano soberano.
A presença de Cristo em nossa vida nos capacita a ter “bom ânimo” mesmo em meio à dor.
Em meio aos problemas, a paz pode ser encontrada em Jesus.

8 de out de 2016


Esperar em Deus

Esperar em Deus
Leia: Salmo 62:1-8 | A Bíblia em um ano: Isaías 30–31 Filipenses 4
Somente em Deus, ó minha alma, espera silenciosa, porque dele vem a minha esperança. —Salmo 62:5
Cha Sa-soon, uma coreana de 69 anos, finalmente recebeu sua carteira de motorista após três anos tentando ser aprovada no exame teórico. Essa senhora queria a carteira para poder levar seus netos ao zoológico.
Ela foi persistente naquilo que normalmente seria obtido com maior rapidez. Quando queremos algo e não conseguimos tê-lo, geralmente reclamamos e exigimos. Em outros momentos, desistimos e caminhamos em frente se aquilo que queremos não pode ser rapidamente satisfeito. “Espere” é uma palavra que detestamos ouvir! Entretanto, muitas vezes a Bíblia nos afirma que Deus quer que esperemos nele, pelo Seu tempo.
Esperar em Deus significa olhar para Ele pacientemente para obter o que precisamos. Davi reconheceu o motivo pelo qual precisava esperar no Senhor. Primeiro, sua salvação veio do Senhor (Salmo 62:1). Ele aprendeu que ninguém mais podia libertá-lo. Sua única esperança estava em Deus (v.5), pois somente Ele ouve nossas orações (v.8).
Nossas orações frequentemente giram em torno de pedir a Deus que se apresse e abençoe o que queremos fazer. E se Deus simplesmente nos responde: “Seja paciente. Espere em mim”? Podemos orar como Davi: “De manhã, Senhor, ouves a minha voz; de manhã te apresento a minha oração e fico esperando” (Salmo 5:3). Podemos confiar em Sua resposta, mesmo que não venha no momento que esperamos.
Toda oração deveria finalizar com “Seja feita a Sua vontade.”

6 de out de 2016


Um fiel ajudante

Um fiel ajudante
Leia: Jeremias 20:7-13 | A Bíblia em um ano: Isaías 26–27 Filipenses 2
Mas o Senhor está comigo como um poderoso guerreiro… —Jeremias 20:11
Quando jovem, meu pai tinha que alimentar porcos famintos com lavagem na fazenda onde cresceu. Ele odiava o trabalho porque os porcos o derrubavam quando ele entrava no chiqueiro. Esta tarefa poderia ter sido impossível se não fosse um fiel ajudante que o acompanhava — uma cachorra da raça pastor alemão. Ela se contorcia entre meu pai e os porcos e os afastava até que meu pai terminasse sua tarefa.
O profeta Jeremias tinha a difícil tarefa de proclamar as mensagens de Deus aos israelitas. Isto exigia que ele resistisse ao abuso físico, ataques verbais, aprisionamento e isolamento. Apesar de lutar com o profundo desencorajamento, Jeremias tinha um Ajudador durante todos os tormentos. Deus prometeu-lhe: “…eu sou contigo […] para te livrar” (Jeremias 1:19).
Deus não abandonou Jeremias e não nos abandonará. Temos Sua ajuda contínua por meio do poder do Espírito que vive em todo cristão (João 14:16,17). O Ajudador nos dá esperança (Romanos 15:13), nos direciona à verdade espiritual (João 16:13) e derrama o amor de Deus em nossos corações (Romanos 5:5). Podemos confiar que Deus fielmente nos ajuda à medida que suportamos a dificuldade. Podemos dizer como Jeremias, “…o Senhor está comigo como um poderoso guerreiro…” (Jeremias 20:11).
Nossa maior esperança aqui na terra é a ajuda de Deus que está no céu.