31 de jul de 2016

À PROCURA DA FELICIDADE

“De tudo o que se tem ouvido, a suma é: Teme a Deus e guarda os seus mandamentos; porque isto é o dever de todo homem.”
Ec 12.13

O filme À Procura da Felicidade conta a história do norte-americano Chris Gardner, o sem-teto que, com esforço e oportunidade, se tornou milionário. A biografia relata que ele consegue comprar a Ferrari dos sonhos, ter status e muito dinheiro; além de dar tudo do bom para o filho. Mas, Chris alcançou, de fato, a felicidade? Certa vez li num períódico sobre a felicidade. Para a revista, a busca da felicidade é o que move a humanidade. Contudo, para o autor, a felicidade é apenas uma ilusão, um truque.

A resposta sobre a procura de Chris é: não adianta buscar a felicidade em dinheiro, conforto, status, pois a felicidade não existe. Salomão em Eclesiastes 2 parece concordar com a ideia de que a felicidade e a satisfação são fraudes. Afinal, ele relata a busca tresloucada para obter alegria à parte de Deus. Ele confessa que sorveu os prazeres do mundo, mas nada foi suficiente para lhe dar a sensação de plenitude de alegria.

Porém, ao final do livro, Salomão reconhece que a vida só tem sentido através de relacionamento de amor e respeito com o Senhor. A resposta que a palavra de Deus dá a todos os que estão na mesma busca de Chris é: não adianta buscar felicidade no dinheiro, no conforto, no status social, na fama ou no poder, pois a felicidade existe, ela não é uma fraude. É uma pessoa e seu nome é Jesus.


Referência para leitura: Eclesiastes 12

Fonte: http://www.lpc.org.br/cada-dia/

30 de jul de 2016

Marcas de família

Marcas de família
Leia: 1 João 4:7-16 | A Bíblia em um ano: Salmos 51–53
Romanos 2
Amados, amemo-nos uns aos outros, porque o amor procede de Deus; e todo aquele que ama é nascido de Deus e conhece a Deus. —1 João 4:7
As ilhas Aran, ao largo da costa oeste da Irlanda, são conhecidas por suas belas malhas de lã. Para a criação das vestimentas, os padrões são tecidos com lã de ovelha. Muitos modelos refletem a cultura e o folclore dessas pequenas ilhas, mas alguns são mais pessoais. Cada família das ilhas tem a marca registrada que os distingue, que lhes é tão característica. Diz-se que, se um pescador se afogar poderia ser identificado simplesmente pelo exame de sua malha de lã com a marca registrada da família.
No livro de 1 João, o apóstolo descreve coisas que devem ser as marcas distintivas dos membros da família de Deus. No livro de 1 João 3:1, João afirma que somos realmente parte da família de Deus, dizendo: “Vede que grande amor nos tem concedido o Pai, a ponto de sermos chamados filhos de Deus…”. Em seguida, descreve as marcas registradas daqueles que são os filhos de Deus, incluindo: “Amados, amemo-nos uns aos outros, porque o amor procede de Deus; e todo aquele que ama é nascido de Deus e conhece a Deus” (4:7).
Porque “Deus é amor”, a principal maneira de refletir o coração do Pai é demonstrando o amor que o caracteriza. Que possamos permitir que o Seu amor alcance aos outros por nosso intermédio — pois o amor é uma das marcas registradas de nossa família.
O amor é a semelhança familiar que o mundo deveria ver nos seguidores de Cristo.

29 de jul de 2016


Acesso confiante

Acesso confiante
Leia: Hebreus 4:14-16 | A Bíblia em um ano: Salmos 49–50
Romanos 1
Acheguemo-nos, portanto, confiadamente, junto ao trono da graça… —Hebreus 4:16
Mont Saint-Michel é uma ilha de maré localizada a cerca de 800 metros da costa da Normandia, na França. Durante séculos ela tem sido o local de uma abadia e mosteiro que atrai peregrinos religiosos. Até a construção de uma ponte, era famosa por seu acesso perigoso o que resultou na morte de alguns peregrinos. Na maré baixa é envolvida por bancos de areia e, na maré alta, cercada por água. Acessar a ilha era motivo de medo.
Para os judeus do Antigo Testamento, o acesso a Deus também era motivo de medo. Quando Deus trovejou no Monte Sinai, o povo temeu aproximar-se dele (Êxodo 19:10-16). E quando o acesso a Deus foi concedido por meio do sumo sacerdote, era necessário seguir instruções específicas (Levítico 16:1-34). Tocar acidentalmente a arca da aliança, que representava a santa presença de Deus, resultaria em morte (2 Samuel 6:7,8).
Mas pela morte e ressurreição de Jesus, agora podemos nos aproximar de Deus sem medo. A penalidade de Deus pelo pecado foi cumprida e somos convidados à Sua presença: “Acheguemo-nos, portanto, confiadamente, junto ao trono da graça, a fim de recebermos misericórdia e acharmos graça…” (Hebreus 4:16).
Por Jesus, podemos chegar a Deus por meio da oração em qualquer lugar e em qualquer hora.
Pela oração, temos acesso instantâneo ao nosso Pai.

28 de jul de 2016

Corajoso e consistente

Corajoso e consistente
Leia: Atos 28:11-16,30-31 | A Bíblia em um ano: Salmos 46–48
Atos 28
…Vendo-os Paulo e dando, por isso, graças a Deus, sentiu-se mais animado. —Atos 28:15
Ao ler o obituário de Eugene Patterson, editor do jornal Atlanta Constitution de 1960–68 e ganhador do Prêmio Pulitzer, fiquei impressionado com duas coisas. Primeira, durante muitos anos Patterson foi uma voz destemida pelos direitos civis numa época em que muitos se opunham à igualdade racial. Além disso, escreveu uma coluna diária durante oito anos. Isso são 2.922 colunas de jornal! Dia após dia, ano após ano. A coragem e consistência foram fatores chaves no impacto que sua vida causou.
Vemos essas mesmas qualidades no apóstolo Paulo. Os capítulos 13 a 28 do livro de Atos registram sua bravura numa situação angustiante após outra. Após naufragar a caminho de ser julgado perante César, desembarcou ao sul de Roma, onde muitos irmãos em Cristo foram ao seu encontro (Atos 28:11-15). “…Vendo-os Paulo…”, escreveu Lucas, ele deu “…graças a Deus, sentiu-se mais animado” (v.15). Durante os dois anos seguintes como prisioneiro, Paulo foi autorizado a viver em sua própria casa alugada, onde “…recebia todos que o procuravam, pregando o reino de Deus, e, com toda a intrepidez, sem impedimento algum, ensinava as coisas referentes ao Senhor Jesus Cristo” (vv.30,31).
Todo seguidor de Jesus pode ser um doador consistente e ser o receptor de coragem. O Senhor pode nos usar hoje para nos incentivar e reforçarmo-nos mutuamente.
Quando compartilharem os seus medos com você, compartilhe a sua coragem.

26 de jul de 2016

A obra de nossas mãos...

A obra de nossas mãos...
Porquanto te esqueceste do Deus da tua salvação […] a colheita voará… —Isaías 17:10,11
"Sem Deus, a obra de nossas mãos se tornará uma pilha de ruínas. Mas quando nos unimos a Deus na obra de Suas mãos, Ele multiplica o nosso esforço e fornece alimento espiritual para muitos."
“…sem mim nada podeis fazer”. —Jesus (João 15:5)
por Julie Ackerman Link


25 de jul de 2016

Procurando Zaqueu


Procurando Zaqueu

Procurando Zaqueu
Leia: Lucas 19:1-10 | A Bíblia em um ano: Salmos 37–39
Atos 26
…Hoje, houve salvação nesta casa… —Lucas 19:9
Alf Clark anda pelas ruas da cidade à procura de Zaqueu. Bem, não aquele da Bíblia — Jesus já o encontrou. Este pastor e alguns amigos que servem num ministério urbano fazem o que Jesus fez no livro de Lucas 19. Eles percorrem propositadamente a cidade para encontrar e ajudar aos necessitados.
Clark anda de casa em casa em seu bairro, batendo nas portas e dizendo a quem aparece nelas: “Oi, sou Clark. Você tem necessidades pelas quais eu possa orar?” Essa é a sua maneira de iniciar a conversa e — como Jesus fez com o cobrador de impostos Zaqueu — oferecer conselhos necessários, vida espiritual e esperança.
Perceba o que Jesus fez. Lucas simplesmente diz que Jesus “…atravessava…” Jericó (Lucas 19:1). É claro que uma multidão se reuniu, como costumava ocorrer quando Jesus vinha à cidade. Sendo “…de pequena estatura”, Zaqueu subiu numa árvore. Jesus, ao passar, foi até aquela árvore e disse que tinha de visitar a sua casa. Naquele dia, a salvação foi à casa de Zaqueu. Jesus tinha vindo “…buscar e salvar o perdido” (v.10).
Estamos procurando por Zaqueu? Ele está em todo o lugar, precisando de Jesus. De que maneiras podemos compartilhar o amor de Cristo com as pessoas que necessitam do Salvador?
As boas-novas de Deus são boas demais para guardarmos para nós mesmos.

23 de jul de 2016

Bandeira branca

Bandeira branca
Leia: Deuteronômio 6:1-9 | A Bíblia em um ano: Salmos 33–34
Atos 24
Ouve, Israel, o Senhor, nosso Deus, é o único Senhor. Amarás, pois, o Senhor, teu Deus… —Deuteronômio 6:4,5
Recentemente, enquanto assistia ao vídeo de um culto realizado na América do Sul, notei algo que nunca vira antes na igreja. Enquanto o pastor chamava apaixonadamente seu rebanho a render sua vida a Jesus, um dos fiéis tirou um lenço branco do bolso e começou a agitá-lo no ar. Depois, outro e outro. Com lágrimas escorrendo pelo rosto, eles estavam expressando sua entrega total a Cristo.
Mas fico imaginando se o momento continha mais do que bandeiras de rendição. Penso que eles estavam agitando bandeiras de amor a Deus. Quando Deus disse ao Seu povo: “Amarás […] o Senhor teu Deus…” (Deuteronômio 6:5), foi no contexto de instá-los a entregar suas vidas a Ele.
Do ponto de vista de Deus, a vida com Ele é muito mais do que apenas tentar ser bom. Sempre se trata de relacionamento — no qual a rendição é a maneira pela qual expressamos a Ele o nosso amor agradecido. Jesus, com incrível amor por nós, se entregou na cruz para nos resgatar de nossa irremediável escravidão do pecado e nos colocou em uma jornada em direção a tudo que é bom e glorioso.
Não temos palavras suficientes para dizer a Deus o quanto o amamos! Então, mostremos-lhe o nosso amor entregando nossos corações e nossas vidas a segui-lo.
A rendição é a linguagem de amor de Deus.

22 de jul de 2016

A GRAÇA DO PERDÃO...

A graça do perdão...

Enquanto calei os meus pecados, envelheceram os meus ossos pelos meus constantes gemidos todo o dia. —Salmo 32:3
Podemos receber a graça do perdão somente de Deus quando as nossas escolhas produziram arrependimentos dolorosos. E somente nele encontramos a sabedoria para fazermos escolhas melhores.
por Bill Crowder

21 de jul de 2016

Água para o mundo...

Água para o mundo...
Quem crer em mim, como diz a Escritura, do seu interior fluirão rios de água viva. —João 7:38
Assim como a distribuição de água doce no mundo é desigual, também é a distribuição de água viva. Muitas pessoas não conhecem os seguidores de Jesus que realmente se preocupam com elas. É nosso o privilégio de compartilhá-lo. Cristo é, afinal, a água viva de quem as pessoas estão sedentas.
Jesus é uma fonte inesgotável de água viva para um mundo ressequido.
por C. P. Hia


20 de jul de 2016

Lugares pequenos...



Lugares pequenos...
Pois quem despreza o dia dos humildes começos… —Zacarias 4:10
Deus não nos chama para encontrar a satisfação na quantidade de trabalho que fazemos por Ele, ou no número de pessoas que fazem parte desse trabalho, mas na fidelidade em fazer o nosso trabalho por causa dele. Servir o nosso grande Deus com a Sua força de um modo simples não é um trampolim para a grandeza — é a grandeza.
por david h. roper

17 de jul de 2016

Com boa aparência...



Consideremo-nos também uns aos outros, para nos estimularmos ao amor e às boas obras. —Hebreus 10:24

Permitamos que Deus nos prive de qualquer pretensão e “Consideremo-nos também uns aos outros, para nos estimularmos ao amor e às boas obras” (Hebreus 10:24).
Os cristãos são fortes quando não estão sozinhos.

16 de jul de 2016

Sentindo-se preso?

Sentindo-se preso?

Sentindo-se preso?
Leia: Salmo 16:1-11 | A Bíblia em um ano: Salmos 16–17
Atos 20:1-16
…aprendi a viver contente em toda e qualquer situação. —Filipenses 4:11
Boécio viveu na Itália do século seis e serviu à corte real como político altamente qualificado. Infelizmente, caiu em desgraça com o rei. Ele foi acusado de traição e preso. Enquanto aguardava a execução, pediu materiais para escrever, para poder compor suas reflexões. Mais tarde, estas se tornaram um clássico espiritual sobre a consolação.
Quando Boécio estava na prisão, ponderando sobre suas perspectivas sombrias, sua fé em Cristo inspirou-o: “Nada é miserável, exceto o que se pensa ser assim; e por outro lado, toda classe social é feliz se quem nela estiver, se contentar.” Ele compreendeu que é uma escolha pessoal a maneira como vemos as circunstâncias e o contentamento.
O apóstolo Paulo reforçou a ideia de que a maneira como vemos as nossas circunstâncias é mais importante do que as próprias circunstâncias. Enquanto ele estava na prisão, também escreveu: “…aprendi a viver contente em toda e qualquer situação” (Filipenses 4:11). Esses dois homens conseguiam se contentar porque a sua satisfação final encontrava-se em Deus, que nunca muda.
Você está preso a circunstâncias difíceis? Deus pode lhe dar contentamento. A satisfação duradoura só pode ser encontrada nele, porque em Sua “…presença há plenitude de alegria, [em sua] destra, delícias perpetuamente” (Salmo 16:11).
Quando tudo o que você tem é Deus, você tem todo o necessário.

15 de jul de 2016

Verdadeira lealdade...

Verdadeira lealdade


Verdadeira lealdade

Leia: 2 Coríntios 11:23-31 | A Bíblia em um ano: Salmos 13–15
Atos 19:21-41
Se tenho de gloriar-me, gloriar-me-ei no que diz respeito à minha fraqueza. —2 Coríntios 11:30
Segundo uma estimativa, mais de 14 trilhões de milhas de passageiros frequentes foram acumuladas por pessoas em todo o mundo. Tudo começou no início da década de 1980, quando as companhias aéreas começaram os primeiros programas de milhagem para incentivar os passageiros frequentes a lhes dar preferência em viagens de negócios, premiando-os pela fidelidade. As milhas acumuladas podiam ser trocadas por viagens, bens e serviços gratuitos; por isso, não demorou muito para as pessoas começarem a planejar suas viagens com base tanto na recompensa pessoal quanto no preço ou horário.
O apóstolo Paulo era um ávido viajante do primeiro século, mas não pelas “milhas de fidelidade”. O objetivo dele era alcançar quantos conseguisse com as boas notícias do perdão e da vida eterna por meio da fé em Jesus. Quando alguns da cidade de Corinto questionaram a sua autoridade, ele escreveu uma carta descrevendo o preço que pagara para levar o evangelho aos outros: “…fui três vezes fustigado com varas; uma vez, apedrejado; em naufrágio, três vezes; uma noite e um dia passei na voragem do mar” (2 Coríntios 11:25). Deus deu a Paulo a graça e a resistência necessária para arriscar sua vida para contar às pessoas sobre Jesus sem pensar em recompensa pessoal.
Quer recebamos perseguição ou elogio por nosso serviço ao Senhor, que o nosso objetivo seja sempre a fidelidade a Ele e a gratidão por Seu sacrifício de amor.
A nossa lealdade a Jesus nasce do Seu amor por nós.