30 de jun de 2016

O grande retorno....


O grande retorno


O grande retorno

Leia: 1 João 1 | A Bíblia em um ano: Jó 17–19
Atos 10:1-23
Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça. —1 João 1:9
Chad Pennington é um ex-jogador de futebol americano que sofreu muitas lesões ameaçadoras à sua carreira. Duas vezes suas lesões o fizeram enfrentar cirurgias, meses de fisioterapia e semanas de treino para voltar aos campos. Entretanto, ambas as vezes, ele não apenas voltou a jogar, mas sobressaiu-se tanto que naquele ano foi nomeado o “jogador que retornou” na Liga Nacional de Futebol. Para Pennington, seus esforços eram uma expressão de sua determinação a voltar ao futebol.
Espiritualmente, quando o pecado e o fracasso rompem nosso relacionamento com Deus e colocam nosso serviço em plano secundário, a determinação por si só não é o que nos restaura à retidão com Deus e utilidade em Seu Reino. Quando somos jogados para escanteio devido ao pecado, o caminho para o retorno é a confissão. “Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça (1 João 1:9).
Dependemos por completo daquele que se entregou por nós para que sejamos capazes de nos recuperarmos de nossos fracassos espirituais. E isso nos dá esperança. Cristo, que morreu por nós, nos ama com amor eterno e responderá com graça quando confessarmos nossas falhas a Ele. Por meio da confissão encontramos Sua graciosa restauração — o maior de todos os retornos.
A confissão é o caminho que leva à restauração.

28 de jun de 2016

Torne atraente


Torne atraente

Leia: Colossenses 4:2-6 | A Bíblia em um ano: Jó 11–13
Atos 9:1-21
Portai-vos com sabedoria para com os que são de fora; aproveitai as oportunidades. —Colossenses 4:5
A história é de um jovem que, em uma época distante, estava a bordo de um trem para ganhar dinheiro vendendo maçãs. Ele andava pelo vagão dizendo: “Maçãs! Você gostaria de comprar uma maçã?” Ao chegar ao vagão do fundo, a cesta ainda estava cheia de maçãs e sem dinheiro algum.
Um senhor que percebeu sua situação o chamou num canto e pediu para ver uma das maçãs. Ele foi até a frente do trem, poliu a maçã com um guardanapo e então andou pelo corredor comendo a maçã e comentando sobre como estava deliciosa e refrescante. Depois disse ao jovem que tentasse novamente. Desta vez, ele vendeu todas as maçãs. A diferença? As maçãs passaram a ser atraentes para os possíveis consumidores.
Esta história nos lembra de um modo de criarmos interesse nos outros pelo evangelho de Jesus Cristo: torne-o atraente aos outros — mostre-lhes a diferença que ele tem feito em nossas próprias vidas. A melhor maneira de fazer isso é seguindo as palavras de Paulo no livro de Colossenses 4:5, que diz: “Portai-vos com sabedoria para com os que são de fora; aproveitai as oportunidades.” Se demonstramos bondade, amor e compaixão a outros, aqueles que nos observam se perguntarão por quê o fazemos, e isso pode nos dar abertura para falar-lhes sobre a beleza do amor de Deus por eles.
A beleza de uma vida transformada pode atrair outros àquele que nos faz belos.

24 de jun de 2016

Veias de ouro...


Veias de ouro


Veias de ouro

Leia: Romanos 6:1-14 | A Bíblia em um ano: Jó 1–2
Atos 7:22-43
…se fomos unidos com ele na semelhança da sua morte, certamente, o seremos também na semelhança da sua ressurreição. —Romanos 6:5
Enquanto visitava a charmosa região de Cotswold na Inglaterra, comprei algumas canecas chinesas feitas de ossos como recordação. Eu as utilizava com cuidado, mas certa vez uma delas caiu na pia e estilhaçou-se. Recentemente pensei naquela caneca quando aprendi sobre a arte japonesa chamada Kintsugi.
Quando algo se quebra, geralmente pensamos em reparar de modo que seja possível reutilizá-lo. Mas há centenas de anos, um artista japonês decidiu que faria algo lindo com a porcelana quebrada. Ele então começou a utilizar resina de ouro para unir os fragmentos. Peças reparadas com o uso deste método possuem complexos filamentos de ouro.
O pecado entrou no mundo muito cedo na história da humanidade (Gênesis 3). Teólogos referem-se ao evento como “a queda”. O resultado inevitável é a destruição. A vida é dolorosa porque continuamos sendo feridos e ferindo outros com a nossa aspereza aguda e cortante. Mas Deus não quer que permaneçamos sendo destruídos. Sua obra de reparação transforma nossa destruição em beleza.
Como um artista Kintsugi, Deus nos restaura. Mas Ele usa algo mais precioso que ouro — o sangue de Seu Filho. Em vez de filamentos de ouro, somos unidos pelas veias do próprio Cristo. “…somos unidos com ele na semelhança da sua morte…” (Romanos 6:5). Não há nada mais belo do que isso.
O preço de nossa libertação do pecado foi pago pelo sangue de Jesus.

23 de jun de 2016

Restaurado pelo Mestre...



Restaurado pelo Mestre...
…e vos revestistes do novo homem que se refaz para o pleno conhecimento, segundo a imagem daquele que o criou. —Colossenses 3:10
"A tela de nossas vidas está nas habilidosas mãos de nosso Senhor que sabe quem e o que Ele planejou que sejamos. Não importa o quão danificados ou sujos pelo pecado possamos estar, há esperança de renovo e restauração. O Artista-Mestre está vivo e trabalhando em nós."

Abraços fraternos.
Fernanda Abreu

21 de jun de 2016

Os mais rápidos...


Os mais rápidos


Os mais rápidos

Leia: Lucas 10:38-42 | A Bíblia em um ano: Ester 3–5
Atos 5:22-42
Tinha ela uma irmã, chamada Maria, e esta quedava-se assentada aos pés do Senhor a ouvir-lhe os ensinamentos. —Lucas 10:39
Segundo um estudo que mediu o ritmo de vida de cidades em 32 países, as pessoas que têm mais pressa moram em Singapura. Elas caminham 18 metros em 10,55 segundos, enquanto os nova-iorquinos fazem o trajeto em 12 segundos, e os que vivem na cidade africana de Blantyre, Malawi, em 31,6 segundos.
Mas independentemente de onde você mora, o estudo mostra que as velocidades de caminhada aumentaram em média 10% nos últimos 20 anos. E se a velocidade de caminhada é um indicador do ritmo de vida, estamos definitivamente mais ocupados do que antes.
Você está preso a uma vida atarefada e agitada? Faça uma pausa e considere as palavras de Jesus a Marta: “…Andas inquieta e te preocupas com muitas coisas. Entretanto, pouco é necessário ou mesmo uma só coisa; Maria, pois, escolheu a boa parte, e esta não lhe será tirada” (Lucas 10:41,42).
Perceba as palavras gentis de Jesus. Ele não repreendeu Marta por querer ser uma boa anfitriã, mas lembrou-a de suas prioridades. Marta permitira que o necessário ganhasse maiores proporções; e, no processo, ficou tão ocupada fazendo o certo que não teve tempo de sentar-se aos pés de Jesus.
Em nosso empenho para sermos produtivos para o Senhor, lembremo-nos que há algo pelo qual vale a pena nos preocuparmos: desfrutar de tempo com nosso Salvador.
Jesus anseia por nossa companhia muito mais do que ansiamos pela companhia dele.

19 de jun de 2016

Shrek!


Shrek!

Leia: Ezequiel 34:11-16 | A Bíblia em um ano: Neemias 12–13
Atos 4:23-37
…Eis que eu mesmo procurarei as minhas ovelhas e as buscarei. —Ezequiel 34:11
Shrek era uma ovelha renegada. Ela desapareceu de seu rebanho e permaneceu perdida por seis anos. A pessoa que a encontrou vivendo em uma caverna num local alto e acidentado na Nova Zelândia não a reconheceu como sendo uma ovelha. “Ela parecia ser alguma criatura bíblica,” ele disse. De certa forma, ela era. Shrek era uma imagem do que acontece com ovelhas que se separam de seu pastor.
Shrek precisou ser carregada até o pé das montanhas porque sua lã estava muito pesada (27 kg) que ela não conseguiria descer sozinha. Para aliviá-la do peso de sua desobediência, ela foi virada de cabeça para baixo para permanecer imóvel e não ser ferida quando o tosquiador removesse sua lã pesada.
A história de Shrek ilustra a metáfora que Jesus usou quando se autodenominou o Bom Pastor (João 10:11) e quando Deus se referiu ao Seu povo como Seu rebanho (Ezequiel 34:31). Assim como Shrek, nós não fazemos boas escolhas quando dependemos apenas de nós mesmos e acabamos oprimidos pelas consequências (Ezequiel 33:10). Para nos aliviar do peso, pode ser que precisemos nos aquietar por um tempo. Quando finalmente nos colocamos nesta situação, é bom parar, permanecer imóvel e confiarmos que o Bom Pastor fará Sua obra sem nos ferir.
O treinamento de Deus é planejado de modo a crescermos na fé.

18 de jun de 2016

Sorria!!!!



Sorria!

Leia: Números 6:22-27 | A Bíblia em um ano: Neemias 10–11
Atos 4:1-22
O Senhor faça resplandecer o rosto sobre ti e tenha misericórdia de ti. —Números 6:25
Um estudo recente que li concluiu que sorrir pode ser bom para a saúde. As pesquisas demonstram que sorrir desacelera o coração e reduz o estresse.
Mas sorrir não é apenas bom para você; um sorriso genuíno também abençoa aqueles que o recebem. Sem dizer uma palavra, pode comunicar a outros que você gosta e se agrada deles. Um sorriso pode abraçar alguém com amor sem que a pessoa seja tocada.
A vida nem sempre nos dá razões para sorrir. Mas quando vemos um sorriso sincero no rosto de uma criança ou em um rosto com rugas da idade, nossos corações são encorajados.
Os sorrisos são também uma alusão à imagem de Deus em nós. Na antiga bênção registrada no livro de Números, temos um indicador de que Deus “sorri”: “…o Senhor faça resplandecer o rosto sobre ti e tenha misericórdia de ti; o Senhor sobre ti levante o rosto e te dê a paz” (Números 6:25,26). Estas palavras são a expressão hebraica para o favor de Deus na vida de uma pessoa, pedindo que Deus sorria para Seus filhos.
Portanto hoje, lembre-se de que você é amado por Deus e de que Ele se agrada de ser atencioso e de resplandecer Sua face sobre você.
Seu sorriso pode ser uma mensagem de ânimo enviada por Deus a uma alma necessitada.

16 de jun de 2016


Os filhos do mundo


Os filhos do mundo

Leia: Tiago 1:22–2:1 | A Bíblia em um ano: Neemias 4–6
Atos 2:22-47
A religião pura e sem mácula, para com o nosso Deus e Pai, é esta: visitar os órfãos e as viúvas nas suas tribulações… —Tiago 1:27
Depois que um grupo de estudantes do Ensino Médio visitou um orfanato durante uma viagem missionária, um estudante ficou claramente chateado. Quando lhe perguntaram o motivo, ele disse que se lembrou de como era a sua situação dez anos antes.
Este jovem vivera num orfanato em outro país. Ele disse que se recordava de pessoas que o vinham visitar e visitavam seus amigos — assim como estes estudantes fizeram — e depois iam embora. Ocasionalmente, alguém voltava e adotava uma criança. Mas todas as vezes que ele era deixado para trás, pensava: o que há de errado comigo?
Quando os adolescentes visitaram o orfanato — e depois foram embora — aqueles antigos sentimentos voltaram a ele. Por esse motivo os outros no grupo oraram por ele — e agradeceram a Deus porque um dia uma mulher (sua nova mãe) apareceu e o escolheu como seu filho. Foi uma comemoração de um ato de amor que deu esperança a um menino.
Por todo o mundo, há crianças que precisam saber do amor de Deus por elas (Mateus 18:4,5; Marcos 10:13-16; Tiago 1:27). Claramente nem todos podem adotar ou visitar essas crianças — e realmente não é esperado que o façamos. Mas todos podemos fazer uma coisa: amparar. Encorajar. Ensinar. Orar. Quando amamos as crianças do mundo, honramos o nosso Pai, que nos adotou como parte de Sua família (Gálatas 4:4-7).
Quanto mais o amor de Cristo cresce em nós, mais ele flui de nós.

15 de jun de 2016


Santo, Santo, Santo



Santo, Santo, Santo

Leia: Apocalipse 4 | A Bíblia em um ano: Neemias 1–3
Atos 2:1-21
…Santo, Santo, Santo é o Senhor Deus, Todo-Poderoso, aquele que era, que é e que há de vir. —Apocalipse 4:8
“O tempo voa quando você se diverte.” Este clichê não se baseia em fatos, mas o dia a dia o faz parecer verdade. Quando a vida é prazerosa, o tempo passa muito rápido. Dê-me uma tarefa que aprecio ou uma pessoa de quem amo a companhia, e o tempo parece não importar.
Minha experiência com esta realidade me deu um novo entendimento do cenário descrito no livro de Apocalipse 4. No passado, quando ponderei sobre os quatro seres viventes, assentados ao redor do trono de Deus, que continuamente repetiam as mesmas poucas palavras, pensei: Que existência maçante!
Não penso mais assim. Penso nas cenas que eles testemunharam com seus muitos olhos (v.8). Reflito sobre a visão que eles têm a partir da sua posição ao redor do trono de Deus (v.6). Medito em quão maravilhados eles estão com o envolvimento sábio e amoroso de Deus com terráqueos desobedientes. Em seguida, penso: Poderia existir reação melhor? O que mais há para dizer senão, “Santo, Santo, Santo”? É maçante dizer as mesmas palavras repetidas vezes? Não quando você está na presença de alguém que você ama. Não quando você está fazendo exatamente o que você foi designado para fazer.
Como os quatro seres viventes, fomos planejados para glorificar a Deus. Nossa vida jamais será maçante se convergirmos nossa atenção nele e cumprirmos esse propósito.
Um coração em sintonia com Deus não pode deixar de entoar louvores a Ele.