28 de jun de 2013

Senhor, eu preciso do teu poder para ser distinguido nesta geração. 
Em nome de Jesus. Amém!





UM JOVEM DIFERENCIADO...

UM JOVEM DIFERENCIADO

“Resolveu Daniel, 
firmemente não se contaminar...” 
Dn 1.8




Daniel era um jovem diferenciado em sua época. Estava fora de sua casa, sua terra, seus costumes, mas na presença de Deus. Era um escravo, sem família e sem liberdade, porém não se deixou levar pelas ofertas aparentemente boas oferecidas pelo rei. Ele foi escolhido para estar diante do rei, aprendendo a língua e a cultura para em seguida assumir um alto posto, que lhe garantiria uma vida tranquila. Daniel era servo do Deus Altíssimo. Quando percebeu tudo o que estava acontecendo, tomou uma sábia decisão de não se contaminar com as finas iguarias do rei, pois estas eram sacrificadas aos ídolos.

Daniel tinha valores absolutos e não estava disposto a transigir com sua consciência. Estava pronto a ser fiel a Deus mesmo diante de tantas oportunidades. Por isso, manteve-se fiel tanto nas perseguições como na prosperidade. Deus o honrou e o colocou assentado entre príncipes. Confie em Deus e espere nele, pois está agindo em seu favor. Seja fiel a Deus na adversidade e na prosperidade. Permaneça firme em sua fé, mesmo que seja lançado na cova dos leões. Nem sempre Deus nos poupa da cova dos leões, mas sempre nos livra da morte ou na morte. Seja diferente!

Senhor, eu preciso do teu poder para ser distinguido nesta geração. 
Em nome de Jesus. Amém!

18 de jun de 2013

A missão da Igreja (2)

"O discípulo não é superior a seu mestre, mas todo o que for perfeito será como o seu mestre." (Lucas 6.40).



Caro leitor, dando continuidade ao artigo "A missão da Igreja (1)", baseado em Mateus 28.19 e 20, falaremos hoje sobre Discipular. No artigo anterior, falamos sobre Ir. Está lembrado? (Caso você não leu, clique aqui para ler) Vamos seguir então com o nosso estudo, digamos assim.

DISCIPULAR: "fazei discípulos de todas as nações" (v19b). O que é discípulo? Bem, este substantivo significa o que recebe disciplina ou instrução de outro; aluno. A pessoa que segue uma doutrina, ideias ou imita os exemplos de outrem é também discípulo. Não devemos, nunca, esquecer que o discípulo (aprendiz), sempre, está sob as ordens de seu Mestre (Mc 14.13,14). Já o verbo "discipular", embora não usual em nosso idioma, é fazer com que alguém se torne discípulo. Em termos bíblicos, significa levar pessoas a serem discípulos de Cristo. E como levar o ser humano a ser discípulo de Jesus? É sobre isso que vamos tratar neste artigo. Mas, antes, vale lembrar que "não é o discípulo mais do que o mestre... basta ao discípulo ser como seu mestre"  (Mt 10.24,25).


O imperativo "fazei discípulos" denota a importância que se é dada à missão-tarefa [de discipular] da Igreja. Logo, é uma ordem do Senhor para nós, seus servos. É uma tarefa que jamais deve (ou, ao menos, não deveria) ser adiada ou omitida. Deus tem pressa, e cabe a mim e a você cumprirmos essa ordem, enquanto anunciamos a mensagem salvífica do Evangelho.

Bem, como levar alguém a ser discípulo do Senhor? Primeiro, devo dizer-lhe que para se fazer discípulos é preciso estar indo em busca das pessoas que estão vivendo sem Deus e sem salvação. Não há como levar uma pessoa a se tornar discípulo de Cristo, se não houver evangelização. O primeiro passo, portanto, é evangelizar, ou melhor, estar evangelizando os povos.

Em segundo lugar, é dever da Igreja ensinar as Escrituras Sagradas aos neófitos na fé (novos convertidos). Embora eu lamente que haja, atualmente, poucas igrejas que se dedicam em ensinar os novos irmãos que se associam à elas. Por outro lado, são muitas as igrejas que não possuem o que chamamos de "discipulado", "culto de discipulado" ou "culto com os novos convertidos". Em outras palavras, tais igrejas se preocupam tanto com o crescimento numérico (crescimento superficial) e esquecem do crescimento sólido, que só acontece mediante o ensino da Palavra. Me entristece ver igrejas que não dão o valor merecido ao discipulado!

De nada adianta as igrejas evangelizarem os pecadores, de forma correta, se não discipularem, ensinando-os as Escrituras. Seria a mesma coisa que pescar, com habilidade, mas deixar os peixes escaparem, novamente, para a água. Fazer discípulos implica em tirar as pessoas do mundo e mantê-las na Igreja, por meio ensinamento da Palavra de Deus. Veja o que disse o Mestre: "Se vós permanecerdes na minha palavra, verdadeiramente sereis meus discípulos" (Jo 8.31). Ele disse isto para os judeus que criam Nele. Perceba você que, fazer discípulos, é levá-los a permanecerem na Palavra; a estarem firmados Nela (Lc 6.47-49).

Quando as igrejas promovem cultos de discipulado, os novos crentes aprendem a não serem enganados por seitas heréticas que se aproveitam do despreparo de alguns novos convertidos e, "fazendo-lhes a cabeça", ensinam heresias de perdição. O mundo também fica de olho naquele que se converte ao Evangelho de Cristo, com a intenção de afastá-lo da Igreja. Por isso, o novo irmão carece de instrução bíblica e de apoio espiritual, por parte de homens e mulheres capacitados para tal obra-ação.

Os líderes eclesiásticos e/ou coordenadores de grupos de evangelismo/discipulado devem levar as "crianças espirituais" a se alimentarem do leite racional, não do falsificado (este é oferecido pelas seitas, em geral), como recomenda o apóstolo Pedro: "Deixando, pois, toda a malícia, e todo o engano, e fingimentos, e invejas, e todas as murmurações, desejai afetuosamente, como meninos novamente nascidos, o leite racional, não falsificado, para que por ele vades crescendo; se é que já provastes que o SENHOR é benigno" (1Pd 2.1-3 - negrito meu). O cristão só cresce espiritualmente se aprender sobre a Bíblia Sagrada. Caso contrário, tal cristão fica raquítico; não se desenvolve (espiritualmente falando). Por isso é importante discipular aqueles que, ao se entregarem para Cristo, vão se agregando às nossas comunidades evangélicas. Ah, sobre o crescimento, a Palavra de Deus diz: "Antes crescei na graça e conhecimento de nosso Senhor e Salvador, Jesus Cristo. A ele seja dada a glória, assim agora, como no dia da eternidade. Amém." (2Pd 3.18). 


O crescimento (desenvolvimento) humano, se divide em, no mínimo, 3 fases, segundo alguns especialistas: infância (do nascimento aos 11 anos de idade); adolescência (dos 12 aos 20 anos de idade); e fase adulta (se inicia aos 21 anos). A mesma classificação se aplica à vida espiritual do cristão. Também é verdade que o crente que hoje é um "recém-nascido" na fé, amanhã será um adulto. Daí Paulo, o doutor dos gentios, ter ensinado sobre isso para os crentes de Corinto (1Co 13.11; 14.20). Aliás, nessa igreja (considerada, por Paulo, como carnal), muitos cristãos não se desenvolveram espiritualmente, como deveriam. Coube ao apóstolo orientá-los (1Co 3.1,2).


Discipular é formar crentes desejosos por aprender sobre as Escrituras. Mas para que haja discípulos é necessário existirem mestres. Enquanto uns evangelizam as almas, outros ensinam-nas. Assim ninguém fica parado nessa missão-tarefa da Igreja do Senhor. Não estou afirmando com isso que, quem tem o dom para ensinar (discipular), deva se esquivar da obra de evangelização. Não! Evangelizar é tarefa de todos os salvos em Jesus. Agora, é claro que nem todos possuem capacidade para ensinar as pessoas que vão se convertendo à fé. Um planta e o outro rega: "Eu plantei, Apolo regou; mas Deus deu o crescimento. Por isso, nem o que planta é alguma coisa, nem o que rega, mas Deus, que dá o crescimento. Ora, o que planta e o que rega são um; mas cada um receberá o seu galardão segundo o seu trabalho. Porque nós somos cooperadores de Deus; vós sois lavoura de Deus e edifício de Deus." (1Co 3.6-9). 

Cristo ordenou aos Doze, e mais de quinhentos irmãos, que saíssem a anunciar o Evangelho, indo, discipulando, batizando e doutrinando. Assim começou a Igreja. E esta é um Corpo, dentro do qual cada membro executa a função que lhe cabe (Rm 12.5-8). Tudo dentro desse Corpo deve estar em unidade, além de visar o aperfeiçoamento da Obra do Senhor, conforme registrado em Efésios 4.11-16. Lembrando que, todos nós (pastores, evangelistas, presbíteros, mestres etc.), somos discípulos do Senhor Jesus. Ele é o Mestre, por excelência (Mt 23.8; Jo 13.14). 


Não obstante existirem os verdadeiros mestres (professores) que expõem, com clareza, as verdades bíblicas, existem também os falsos mestres, sobre os quais Pedro faz referência em sua segunda carta: "E também houve entre o povo falsos profetas, como entre vós haverá também falsos doutores [mestres], que introduzirão encobertamente heresias de perdição, e negarão o Senhor que os resgatou, trazendo sobre si mesmos repentina perdição." (2Pd 2.1 - negrito e colchetes meus). Jesus também previu-nos, quanto aos enganadores (Mt 7.15; 24.4), que estão por aí, tentando desviar os discípulos de Cristo do Evangelho da Graça; do Caminho que leva para o céu. Por isso urge resgatarmos as vidas, que estão sofrendo nesse mundo, para os braços de Deus, enquanto estamos indo e discipulando (fazendo discípulos).

Finalizando, afirmo que, fazer discípulos, é tarefa da Igreja de Cristo. Lembrando que discípulo faz discípulo. E mais: fomos chamados para pregar as Boas-Novas, enquanto vamos ganhando vidas para o Reino de Deus e formando discípulos, ao ensiná-las. Não devemos, em hipótese alguma, cruzar os nossos braços diante de tão importante missão.


P.S.: Convém salientar que os doze apóstolos de Cristo eram discípulos também. Se não, vejamos: "E, quando já era dia, chamou a si os seus discípulos, e escolheu doze deles, a quem também deu o nome d
.e apóstolos" (Lc 6.13). Como se deduz do texto bíblico ora mencionado, Jesus tinha inúmeros discípulos, e destes escolheu doze para serem apóstolos. Nem todo discípulo era apóstolo; porém todo apóstolo era discípulo. Digo isso porque há muitos que confundem essas duas expressões bíblicas. Apóstolo significa, literalmente, "alguém enviado sob ordem de outrem". Já discípulo tem o sentido de aprendiz, aluno

12 de jun de 2013

Negócios inacabados



Negócios inacabados...

Aos 99 anos, Leo Plass recebeu seu diploma universitário. Ele tinha deixado sua formação em magistério durante a década de 1930 quando abandou a universidade para ganhar a vida no ramo de corte e transporte de árvores. Setenta e nove anos depois, ele completou os três créditos necessários para se formar e resolver esse importante negócio inacabado em sua vida.
Muitos de nós podemos nos identificar com Leo. Nossos negócios inacabados podem incluir pedidos de desculpas não ditos ou, ainda mais importante, decisões espirituais inacabadas. Um dos criminosos que foi crucificado ao lado de Jesus precisava tomar tal decisão urgentemente. Com apenas alguns suspiros separando-o da eternidade, ele percebeu quem Jesus era e queria estar com Ele no céu. O ladrão reconheceu o seu pecado e a inocência de Jesus e disse: “…Jesus, lembra-te de mim quando vieres no teu reino” (Lucas 23:42). Jesus respondeu, “…Em verdade te digo que hoje estarás comigo no paraíso” (v.43).
Deus não quer que ninguém pereça (2 Pedro 3:9). Sua oferta de salvação está disponível a todos, independentemente de idade, saúde ou fase de vida. Sua oferta está disponível a você. Não demore para receber Jesus como Salvador (2 Coríntios 6:2). Resolva este importante negócio inacabado e você aguardará pela eternidade com Ele.
Ser salvo aqui significa ser salvo no futuro.
- See more at: http://ministeriosrbc.org/#sthash.FPij8kcK.dpuf

10 de jun de 2013

Carta de C.S Lewis...



Prova de honestidade...

Segunda-feira 10 Junho

Ele te declarou, ó homem, o que é bom; e que é o que o SENHOR pede de ti, senão que pratiques a justiça, e ames a benignidade, e andes humildemente com o teu Deus?
Procurai as coisas honestas, perante todos os homens
(Miquéias 6:8; Romanos 12:17)
.

UMA PROVA HONESTA

Nos meus primeiros anos de escola, costumávamos colar muito nas provas e testes. Um dia, antes de distribuir as provas, nosso professor de matemática disse: “Hoje, meus jovens amigos, vou aplicar duas provas: a primeira de geometria, a outra de honestidade. Espero que passem nas duas. Se tiverem de falhar em alguma, é melhor que seja na de geometria. Na vida vocês terão mais oportunidades de aplicar os princípios de honestidade que os teoremas geométricos”.
Nossa honestidade tem muitas maneiras e ocasiões de passar por testes. O que fazemos se, por exemplo, o caixa do supermercado nos der troco a mais? Dizemos: “Ah, isso foi problema dele, não meu”? E quando preenchemos nossa declaração de imposto de renda, ignoramos deliberadamente alguns itens?
Meu professor de matemática estava certo. O comportamento de uma pessoa é infinitamente mais importante que o nível de conhecimento ou a educação dela. Em primeiro lugar, temos de ser honestos diante de Deus. A Ele ninguém pode enganar, pois “todas as coisas estão nuas e patentes aos olhos daquele com quem temos de tratar” (Hebreus 4:13). Queiramos ou não, teremos de acertar contas com Deus. Porém, graças à obra de Jesus Cristo, Deus nos perdoou a incalculável divida que tínhamos com Ele. E zelemos “do que é honesto, não só diante do Senhor, mas também diante dos homens” (2 Coríntios 8:21).

9 de jun de 2013

Obediência e Adoração...



CONTINUE ESPERANDO AINDA QUE...

CONTINUE ESPERANDO AINDA QUE...

“... não vos inquieteis com o dia de amanhã, pois o amanhã trará os seus cuidados; basta ao dia o seu próprio mal.”
Mt 6.34






Jesus disse: “No mundo, passais por aflições; mas tende bom ânimo; eu venci o mundo” (Jo 16.33). São muitas as aflições que enfrentamos na vida. Quem está solteiro quer se casar; o casado vive seus dilemas; as mães lidam com variadas situações próprias da idade dos filhos; os pais de adolescentes quase arrancam os cabelos ao ver os perigos que os filhos enfrentam; o desempregado batalha diariamente para conseguir um trabalho; o empresário enfrenta as mais duras pressões do mercado; o jovem formando difere do cinquentão; as viúvas, quase sempre solitárias; o idoso, os órfãos e os demais passando pelos diferentes dramas da vida.

Tudo porque a Escritura afirma que neste mundo passaríamos por aflições e que cada dia traz o seu próprio mal. Em qualquer dificuldade, o que faz a diferença é a atitude íntima, os valores que sustentam o coração. Um coração sarado, curado e abençoado continua batendo firme no compasso da graça. Por que deixar que as ânsias do futuro perturbem hoje a paz do coração? Mesmo que os tempos continuem tenebrosos, em Cristo vamos experimentar retumbantes vitórias. Avante em Cristo! Siga sempre em frente.




Deus bendito, sustenta-me nestes tempos difíceis para eu vencer em Cristo. Eu creio e espero que tua graça especial me mantenha firme até o fim. Em nome de Jesus, amém!

5 de jun de 2013

PERMANECER EM CRISTO...


DEUS EM NOSSAS VIDAS...

In tough times we can doubt that God is really good. We may know it in our heads, but we forget it in our hearts. That's why, when we go through bad times, we have to remind ourselves of God's goodness. Otherwise we too easily forget.

Em tempos difíceis, podemos duvidar de que Deus é realmente bom. Podemos saber que em nossas cabeças, mas nos esquecemos de que em nossos corações. É por isso que, quando passamos por momentos ruins, temos que nos lembrar da bondade de Deus. Caso contrário, muito facilmente esquecer.


3 de jun de 2013

Amigo é...


Palavras sábias...


Palavras sábias

Agora em meus 60 anos, relembro dos sábios líderes espirituais que me impactaram positivamente. No seminário, Deus usou meu professor de Antigo Testamento para dar vida à Palavra. Meu professor de grego era implacável em aplicar critérios elevados para encorajar meu estudo do Novo Testamento. Em meu primeiro ministério pastoral, o pastor sênior me ajudou a criar ministérios necessários para ajudar outros a crescerem em sua vida espiritual. Cada um destes professores me encorajou de maneiras diferentes.
O rei Salomão observou sabiamente algumas maneiras que os líderes espirituais podem nos ajudar a crescer: “As palavras dos sábios são como aguilhões, e como pregos bem fixados as sentenças coligidas, dadas pelo único Pastor” (Eclesiastes 12:11). Alguns professores nos estimulam, outros edificam sólidas estruturas espirituais em nossas vidas. E outros ainda, como pastores cuidadosos, estão próximos com um ouvido atento quando sofremos.
O Bom Pastor concedeu uma variedade de dons aos líderes: exortação, crescimento e pastoreio. Sejamos líderes ou aprendizes, Ele deseja que mantenhamos corações humildes e o amor pelos outros. Que privilégio sermos guiados e usados por nosso Pastor para encorajar outros em sua caminhada com Ele.
Que as nossas palavras reflitam o coração e a sabedoria de Deus.