24 de fev de 2010


CUIDADO COM A CUMPLICIDADE!

“Não te tornes cúmplice de pecados de outrem. Conserva-te a ti mesmo puro”.
1 Timóteo 5.22

Diante da justiça de Deus, não importa que você não tenha cometido pessoalmente o crime. Você será culpado se de algum modo contribuiu para a realização do crime. A respeito dessa conexão criminosa, há duas histórias muito parecidas. A primeira aconteceu cerca de 1.150 anos a.C. e se encontra no Velho Testamento. A outra aconteceu por volta do ano 33 d.C. e está no Novo Testamento. Na primeira, diz-se que os cidadãos de Siquém deram 800 gramas de prata, tirada do templo de Baal-Berite, para Abimeleque, filho bastardo de Gideão. Com esses recursos, Abimeleque alugou uma turma de mercenários, com os quais matou todos os setenta filhos de Gideão, exceto o caçula, que conseguiu fugir (Jz 9.4, 5). Na segunda, lê-se que os sacerdotes retiraram do gazofilácio 30 moedas de prata e as entregaram a Judas para que ele traísse o Senhor Jesus (Mt 26.14-16).

Não foram os homens de Siquém que mataram os irmãos por parte de pai de Abimeleque, nem foram os sacerdotes do templo de Jerusalém que mataram o Senhor. Todavia, ambos os grupos contribuíram para que esses crimes acontecessem. Isso é cumplicidade que desagrada a Deus.

Ore

Livra-me de ser cúmplice das obras infrutíferas das trevas, Senhor. Antes, quero estar sempre irradiando a tua luz. Que meu dinheiro, palavras e conduta estejam sempre a teu serviço, e não do mal. Por Cristo Jesus, meu salvador. Amém.

Pense

Deus exige que você dificulte o mal, torne-se um obstáculo para a prática do mal, seja um opositor do mal.

Carinho e amor
Fernanda